quinta-feira, 16 de abril de 2009

SONETO

Gilberto Wallace Battilana

Continuas mulher, ainda que que no meu verso
eu te componha neste outro universo
onde suspensos sobre o rio do tempo
dançamos o tango das nossas vidas.

És musa e tema, és do poema a palavra e a razão,
és o corpo que moldo com as mãos na cama,
e continuas a ser a imagem que me vence a expressão
sem que nesta união eu atinja o gozo da posse

que está sempre além do que a palavra encobre,
e reconheço a minha poesia fraca e pobre
ante a fortaleza e o ouro da tua beleza.

Tu, que és ideia e mulher, e te pões à minha frente,
desafiante e desnuda para que te consagre no lençol
deste papel onde o que fica é o fracasso do escrevente.

2 comentários:

Roselaine Funari disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
etasfloripa@gmail.com disse...

lindo, como gosto de seus poemas, são marcantes, maravilhosos. magda